Continue a nadar… desistir jamais (Para Yllen)

Como estão seus sonhos e projetos? Você tem conseguido levar adiante tudo aquilo que estabeleceu como meta ou propósito?

Acredito que, como muitos, nestes tempos difíceis que estamos vivendo, tantos sonhos e projetos estão engavetados, deixados de lado junto com a esperança de retomadas ou da chegada de tempos melhores.

Nestes tempos sombrios nem sempre é fácil acordar acreditando em uma grande verdade: ainda que não o vejamos, o sol brilha para todos.

Eu sei que muitos, ao lerem isso, falarão que é mais uma frase feita, que todo mundo fala isso e que não adianta nada.

Aí é que está o engano de muitos. Nossa forma de pensar influencia muito em nossa forma de agir e viver.

Em seu livro “Mindset: A nova psicologia do sucesso”, a partir de suas pesquisas, Carol S. Dweck, professora de psicologia na Universidade Stanford, indica que a atitude mental implica diretamente na nossa forma de ser e agir, impactando os resultados em nossa vida.

Ainda que alguns não acreditem ou achem balela, não estamos aqui diante de um livro de autoajuda ou de receitinhas para atingir o sucesso, mas apontando o resultado de pesquisas desenvolvidas por esta professora. Em sua obra, Carol aponta dois tipos de mentalidade: mindset fixo e mindset de crescimento e como a forma de pensar implica em atitudes.

As pessoas que possuem mindset fixo acreditam que seus traços, talentos e comportamentos são imutáveis. Acreditam que já que nasceram assim e que não podem mudar. Sofrem daquilo que chamo de Síndrome de Gabriela (Eu nasci assim, eu cresci assim, eu sou mesmo assim, vou ser sempre assim…).

Já as pessoas que possuem mindset de crescimento acreditam que a inteligência, seus talentos e habilidades são mutáveis e em constante desenvolvimento. Acreditam que com estudos e treino, podem se desenvolver ainda mais e em quaisquer áreas.

Não é preciso dizer que o ideal é cultivar uma mentalidade de crescimento, de progresso e busca de aprimoramento se queremos realmente vencer e atingir o sucesso na vida.

Não estou dizendo que é ou será fácil, mas chamo a atenção para nossa forma de ver e viver o mundo que nos rodeia. Alguns escolhem acreditar que é possível e outros de que não é possível. Acreditar que não é possível é se derrotar antes de travar qualquer batalha.

Conversando com uma amiga veio a inspiração para o artigo desta semana e, para reforçar nossas reflexões, trago aqui uma personagem que, com todas as suas dificuldades, venceu muitos obstáculos e acabou até virando estrela de seu próprio filme.

Falo da peixinha Dory, do filme Procurando Nemo. A divertida personagem que tem perda de memória recente, que se mostra confusa e distraída, traz ensinamentos que precisamos levar para nossa vida.

Em um dos momentos da epopeia em busca de Nemo, Dory diz: “Quando a vida te decepciona, qual é a solução? Continue a nadar! Continue a nadar! Continue a nadar, nadar, nadar! Para achar a solução, nadar, nadar!”

Já em seu filme, diante das dificuldades de reencontrar sua família, não admite desistir e convence até aqueles que já estavam desesperançados e acomodados na forma de vida que escolheu, como o polvo Hank. Mesmo quando lhe dão apoio, como no caso de Marlin, a peixinha segue em frente e, com várias reviravoltas, segue em frente, rumo a seus objetivos e metas.

O que podemos aprender com Dory?

Que mesmo diante de tantas batalhas, agruras, decepções, o ideal é seguir adiante, focado naquilo que se acredita, nas metas traçadas; na constante busca de aprimoramento e aprendizados.

Continue a nadar implica na coragem de seguir adiante mesmo em mares bravios, mesmo com o medo do desconhecido, com a incerteza do amanhã, mas com a fé naquilo que aprendemos e como mudamos nossa mentalidade ao longo dessas experiências positivas ou não.

 

Prof. Dr. Robson Santos

Coach e Terapeuta

 

14 comentários em “Continue a nadar… desistir jamais (Para Yllen)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *